Dia Mundial da Saúde

07 de Abril - Dia Mundial da Saúde


Todo Dia 07 de Abril de cada ano é comemorado o Dia Mundial da Saúde, criado pela Organização Mundial da Saúde em parceria com as demais organizações internacionais espalhadas pelo mundo.

A cada ano a Organização Mundial da Saúde e essas instituições selecionam um tema da área para abordagem, e claro, para alertar a população sobre os riscos e perigos dessas doenças que devem merecer total atenção e cuidados redobrados.

Em parceria com a Federação Internacional de Diabetes, a OMS resolveu voltar a atenção para o Diabetes. A doença é responsável por 15% do total de todas as mortes que ocorrem no mundo.

No ano de 2015 foi registrado aproximadamente cinco milhões de casos de pessoas de 20 a 79 anos que foram a óbito por conta do Diabetes. Diante de tantos problemas e doenças, poucas pessoas dão a devida atenção para prevenir a doença.

NO MUNDO

O Diabetes precisa de atenção.

O QUE É O DIABETES?

Uma doença silenciosa

Diabetes Mellitus é doença crônica causada pela falta absoluta ou relativa da insulina no organismo. Quando a insulina produzida pelas células beta pancreáticas torna-se insuficiente, a glicose é impedida de ser absorvida pelas células, o que ocasiona elevação da mesma na corrente sanguínea. Os níveis glicêmicos ideais em jejum, variam de 70 a 99 mg por 100 ml de sangue.

Se as células não recebem glicose, o cérebro sinaliza que está faltando alimento (Energia) para o corpo e ativa mecanismos de emergência para providenciar esse alimento. Esses mecanismos fazem o fígado produzir glicose e mandá-la para o sangue, além de obrigar o tecido gorduroso a queimar suas reservas para produzir mais energia que movimentará o corpo humano.

Como conseqüência a glicose vai subir mais ainda, e o paciente começa Emagrecer,e sentir Fraqueza (pois ao mesmo tempo falta energia, já que a insulina responsável pela absorção da glicose está ausente ou deficiente).

Esses fenômenos levam a pessoa a sentir fome (Polifagia), o que vai aumentar ainda mais os níveis sangüíneos de glicose. A queima de gorduras para produzir energia gera Corpos Cetônicos, que devem ser eliminados pela respiração, o que ocasiona um hálito com cheiro adocicado (Hálito Cetônico) e pela urina (Cetonuria).

Agora você sabe como é a doença e como ela se manifesta e já pode entender algumas exigências do tratamento.

Fonte: ANAD

PREVENÇÃO

Pratique esportes sempre

Embora não seja prevenir totalmente o surgimento do Diabetes, existem alguns hábitos que você pode começar a praticar para reduzir o risco. Selecionamos 5 dicas para você começar a mudar hoje:

#EscolhaPerdadePeso: A gordura abdominal acumulada ou visceral obriga o pâncreas a produzir cada vez mais insulina para a glicose entrar nas células. Ao perder essa gordura, além de emagrecer, você ajuda o seu pâncreas à trabalhar de maneira saudável.

#EscolhaDurmirBem: Dormir mal ou pouco aumenta o risco de obesidade e teoricamente resulta nos riscos de diabetes. A alteração no relógio biológico retardam o ritmo metabólico. Durma de 7 à 8 horas por dia.

#EscolhaAlimentosIntegrais: Prefira alimentos integrais como o arroz, pães que são ótimos substitutos da farinha de trigo e o pão francês, por exemplo. Quanto menor o índice glicêmico no sangue, melhor para evitar a doença.

#EscolhaFrutas: Uma alimentação balanceada rica em frutas ajuda evitar a doença. Entretanto, não exagere na quantidade, pois algumas frutas possuem a frutose e essa carga elevada pode resultar em diabetes do tipo 2.

#EscolhaMenosEstresse: Quando você é dominado pelo Stress existe uma grande tendência ao consumo de alimentos gordurosos e calóricos. Portanto, leve a vida de maneira leve e saudável sempre!

DIAGNÓSTICO

Quanto mais cedo melhor

Um simples exame de sangue pode revelar se você tem diabetes. Com uma gotinha de sangue e três minutos de espera, já é possível saber se há alguma alteração na taxa de glicemia. Caso a alteração seja considerável, será necessária a realização de outros exames, mais aprofundados.

Para ter certeza do resultado e assim começar o tratamento, o médico deve solicitar o teste oral de tolerância à glicose, mais conhecido como Curva Glicêmica.

O exame é feito em diversas etapas, em que são coletadas amostras de sangue em um tempo determinado, geralmente de 30 em 30 minutos. Nos intervalos, o paciente deve ingerir um xarope de glicose.

Os resultados são dispostos em um gráfico e permitem o diagnóstico preciso.

Compartilhar suas dúvidas com amigos e parentes de confiança pode revelar pessoas dispostas a apoiá-lo e ajudá-lo a mudar seu estilo de vida.

Há ainda vários grupos de apoio e associações que não só ajudam com a troca de experiências, como fornecem informações importantes sobre o uso de monitores de glicemia e bombas de insulina.

É importante comunicar a escola, o plano de saúde e a empresa onde você trabalha (no caso das crianças, veja: Meu filho tem diabetes, e agora?). Se houver qualquer complicação, essas instituições estarão orientadas a ajudar e encaminhar para o atendimento correto.

Fonte: SBD

NO BRASIL

Dengue e Influenza-A (H1N1)

O que o Brasileiro precisa saber.

Segundo dados do boletim epidemiológico da área de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES), já foram notificados 13.368 casos neste ano, o que representa um aumento de 282% em relação ao mesmo período do ano passado quando foram notificados 3.498 casos.

Dos 141 municípios mato-grossenses, 128 notificaram casos e 65 deles apresentam incidência acima de 300 casos a cada 100 mil habitantes, considerados como de alto risco de transmissão da doença. Foram registrados três óbitos, sendo um confirmado do município de Juína, e dois em investigação nos municípios de Aripuanã e Canarana.

Em relação ao zika vírus são 9.092 casos suspeitos. No ano passado foram 8.535 casos notificados. Neste ano, o município de Tangará da Serra tem 804 casos suspeitos, seguido por Várzea Grande (727), Barra do Garças (649) e Cuiabá (403). Em 107 municípios ocorreram casos suspeitos.

Sobre a febre chikungunya já foram registrados 450 casos suspeitos em 2016. No ano passado foram 313 casos. Porém, estes números ainda podem sofrer alteração devido a atrasos nas atualizações dos sistemas de informação dos municípios. Até o momento, 97 municípios não notificaram casos de febre chikungunya. O município de Campo Novo do Parecis apresenta alto risco para transmissão da doença com 182 casos notificados o que representa uma incidência de 569/100 mil habitantes.

De janeiro a 26 de março deste ano, o Brasil registrou 444 casos de síndrome respiratória aguda grave provocada pela influenza A (H1N1), conhecida como gripe A. Boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde aponta ainda que a doença já provocou a morte de pelo menos 71 pessoas em todo o país.

Os dados mostram que o Sudeste concentra o maior número de casos (379), sendo 372 no estado de São Paulo. Em seguida aparecem Santa Catarina (22); Bahia (9); Paraná (7); Pernambuco (5); Goiás (5); Distrito Federal (5); Minas Gerais (3); Ceará (3); Pará (3); Rio de Janeiro (3); Rio Grande do Norte (2); Mato Grosso (2); Mato Grosso do Sul (1) e Espírito Santo (1).

Com relação ao número de óbitos, São Paulo registrou 55, seguido de Santa Catarina (3); Ceará (2); Bahia (2); Minas Gerais (2); Mato Grosso (1); Mato Grosso do Sul (1); Goiás (1); Rio de Janeiro (1); Pará (1) e Rio Grande do Norte (1).

Por meio de nota, o ministério informou que está monitorando os casos de H1N1 nesses estados por meio das vigilâncias locais. “O Brasil possui uma rede de unidades sentinelas para vigilância da influenza, distribuídas em serviços de saúde de todas as unidades federadas do país, que monitoram a circulação do vírus através de casos de síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave.”

A campanha nacional de vacinação contra o H1N1 começa no dia 30 de abril. O Ministério da Saúde antecipou o envio de doses da vacina a alguns estados devido ao surto da doença.

O QUE É A DENGUE

Pequeno e Grande. Ele é o Aedes Aegypti

Dengue é uma doença causada por um vírus que é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa.

Ciclo de transmissão: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em locais que contenham água acumulada. As larvas saem dos ovos, vivem na água por cerca de uma semana e então se transformam em mosquitos adultos. Esses mosquitos, quando contaminados pelo vírus, infectam as pessoas, ao picá-las. A doenças surge entre 3 a 15 dias após a picada.

Existem quatro variações do vírus, que causam os mesmo sintomas: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Uma vez que a pessoa é infectada por um tipo de vírus, desenvolve anticorpos contra o mesmo, porém, pode ser infectada pelos outros tipos. Essas infecções posteriores tendem a causar quadros mais graves.

Dengue clássica: muitas vezes confundida com a gripe, é a forma mais leve da doenças. Alguns sintomas: febre alta com início súbito, extremo cansaço, dor de cabeça e atrás dos olhos, moleza e dor no corpo, náuseas e vômitos, manchas ou erupções na pele, perda de paladar e apetite, muita dor nas articulações e ossos.

Dengue hemorrágica: os sintomas inicias são semelhantes a dengue clássica, porém, o quadro clínico se agrava rapidamente, podendo levar a insuficiência circulatória e choque. Alguns sintomas: sonolência, agitação, perda de consciência, confusão, sangramento no nariz, boca e gengiva, vômito persistente, dificuldade respiratória, queda de pressão arterial, sede excessiva, pulso alterado, pele pálida e fria.

Síndrome do choque da dengue: é a complicação mais séria da dengue. É caracterizada por uma queda acentuada ou ausência de pressão arterial, acompanhada de palidez e perda de consciência.

As pessoas que sofrem desse choque, podem apresentar insuficiência hepática, várias complicações neurológicas e cardiorrespiratórias, hemorragias e derrame pleural. Se não for tratado, esse quadro pode levar a pessoa a óbito.

Caixa D’Água sempre fechada

Mantenha a caixa d’água sempre fechada com a tampa adequada.

Limpe a calha

Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir da água correr pelas calhas

Laje de casa

Não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje.

Tambores de Armazenamento

Lave 1 vez na semana por dentro com escovas e sabão os tanques de água

Plantas e Vasos

Encha de areia até a borda os pratinhos dos vasos de planta

Aquários e Vasos Aquáticos

Troque a água e lave o vaso com escova, sabão semanalmente.

Garrafas Pet e Vidro

Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo ou recicle.

Pneus velhos

Entregue seus pneus  para limpeza urbana ou guarde-os em local coberto

 

DIAGNÓSTICO

Avanços na Medicina

O diagnóstico da dengue é feito através de um exame de sangue para sorologia da doença, após a análise dos sintomas por um médico.

Não existe um tratamento exclusivo e específico para a dengue.

É feito o tratamento dos sintomas decorrentes da doença e administração de analgésicos e antitérmicos, para aliviar as dores e controlar a febre.

É importante a ingestão de muito líquido, para prevenir a desidratação.

No Brasil, o Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Butantan também estão tentando desenvolver uma vacina contra a dengue que seja totalmente eficaz contra os 4 subtipos da doença, estando prevista a sua comercialização em 2016.

Atualmente estão sendo feitos testes em várias cidades brasileiras para avaliar a segurança e eficácia da vacina, que aparentemente protege 66% da doença e tem se mostrado eficaz entre pessoas entre 9 e 45 anos de idade.

Na Austrália, um grupo de pesquisadores em parceria com a Fiocruz tentam encontrar uma nova arma contra a dengue, a bactéria Wolbachia que contamina o mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypt diminuindo pela metade o seu tempo de vida e livrando-o do agente causador da doença.

Esta seria uma outra abordagem contra a doença, natural e mais sustentável, segundo os pesquisadores.

Gripe Suína

A mutação do virús da gripe

O QUE É A Influenza A (H1N1)

A pandemia que assustou o mundo

Também chamada de Influenza A ou gripe suína, esse tipo de gripe é causado por uma mutação do vírus da gripe.

A transmissão do vírus ocorre da mesma maneira da gripe comum: gotículas de saliva, secreções respiratórias e principalmente tosse ou espirro. Os sintomas aparecem entre 1 a 4 dias após o contágio.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), durante os anos 2009 e 2010, 207 países notificaram casos confirmados da doenças, totalizando quase 9 mil mortos em decorrência da doença.

Aqui no Brasil, o surto 2016 iniciou mais cedo. Somente em março, o número de casos no estado de São Paulo já superou a quantidade de afetados em todo o país em 2015.

Os sintomas são bem parecidos com o da gripe comum, porém, ela pode levar a graves complicações de saúde e até a morte.

Alguns sintomas: tosse, dor de cabeça, febre alta, dor muscular, espirros, falta de ar, dor na garganta, congestão nasal, coriza, náuseas e vômitos.

Assim como qualquer gripe, qualquer pessoa pode contrair a doenças, porém, doentes crônicos, crianças pequenas, gestantes, pessoas obesas e pessoas com problemas respiratórios, fazem parte do grupo de risco e estão mais vulneráveis a doença.

PREVENÇÃO

Mudança de hábitos ajudam

1º passo: Não deixe de se vacinar contra o vírus H1N1. A vacina será disponibilizada pelo SUS em abril para os grupos com risco de maior complicação como o dos idosos, crianças de seis meses a 5 anos, gestantes, puérperas (que acabaram de dar à luz), portadores de doenças crônicas, funcionários do sistema prisional e da área da saúde. Para quem não está nos grupos de risco, é possível tomar a vacina na rede particular;

2º passo: Evite o contato com as pessoas com a gripe H1N1, como abraço, beijo e aperto de mão. Em ambientes fechados, procure deixar as janelas abertas para que haja circulação do ar;

3º passo: Lave muito bem as mãos com água e sabão (inclusive entre os dedos, nos pulsos e por dentro das unhas) e utilize álcool gel para uma higienização completa. Se não for possível, faça pelo menos um dos dois procedimentos;

4º passo: Se segurar em lugares públicos como maçanetas, corrimãos, apoios do metrô e dos ônibus, evite levar as mãos até os olhos, nariz e boca enquanto não puder fazer nova higienização;

5º passo: Evite estresse, ansiedade, má alimentação, dormir pouco, beber e usar drogas. Isso enfraquece o sistema imunológico e deixa o organismo ainda mais exposto ao vírus.

DIAGNÓSTICO

A Vacina. A Esperança

O diagnóstico é feito através da análise dos sintomas e análise laboratorial de secreção do paciente.

O tratamento é feito com o alívio dos sintomas. Raramente é necessário internação ou administração de antivirais.

A pessoa diagnosticada com esse tipo de gripe, deve ser afastada do trabalho e ficar de repouso, em casa, evitando o contato com as pessoas, para que não transmita a doença.

O Ministério da Saúde iniciou o envio aos estados da vacina contra a influenza no início deste mês. Nas três primeiras remessas (1º a 15 de abril), os estados recebem 25,6 milhões de doses, que corresponde a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano. Desse montante, serão entregues 5,7 milhões de doses somente para São Paulo.

A vacina é distribuída para:

– Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;

– Gestantes;

-Trabalhador de saúde;

-Povos indígenas;

-Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;

-População privada de liberdade;

-Funcionários do sistema prisional;

-Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;

-Pessoas portadoras de outras condições clínicas especiais (doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias).